Imunidade baixa: O que fazer para melhorá-la?

O sistema imunológico é um dos mais importantes do corpo humano. Ele ajuda a combater e impedir doenças, infecções e faz com que nos recuperemos rapidamente de qualquer problema que possamos ter. Mas e se você estiver com a imunidade baixa? O que fazer para melhorá-la?

Muitos minerais e vitaminas são importantíssimos para o bom funcionamento do sistema imunológico. Nós precisamos ingeri-los ou pela alimentação, ou por suplementação. A partir de agora, vamos te falar tudo o que é preciso saber sobre como resolver problemas sobre sua imunidade!

Pontos-chave

  • A manutenção do sistema imunológico em alta é feita através de boa alimentação e de cuidados constantes com a saúde.
  • Muitas vitaminas e minerais são importantes para a imunidade e têm características que ajudam o corpo a produzir todas as células de defesa necessárias.
  • Eventualmente, quem sofre com baixa imunidade pode precisar fazer suplementação de algumas vitaminas e minerais. Após consulta médica, procurar pelos ótimos suplementos da Sundt é a melhor opção.

Saiba tudo sobre imunidade baixa e como resolver esse problema

Para não sofrer com a sua imunidade, você precisa se alimentar bem e ainda ficar atento com outras questões e possíveis problemas.

Selecionamos algumas das principais dúvidas que as pessoas costumam ter sobre o assunto e vamos respondê-las nos próximos parágrafos.

Como funciona nosso sistema imunológico?

O sistema imunológico humano é formado por muitos tipos de células que, juntos, têm a responsabilidade de nos defender: Linfócitos, monócitos, leucócitos, neutrófilos, eosinófilos, basófilos, e assim por diante.

Quanto melhores forem as quantidades de cada uma dessas células em nosso organismo, mais existirá a chance de resposta imediata e de neutralização das ameaças no momento que qualquer micro-organismo estranho adentrar o corpo.

Se temos alimentação balanceada, cheia de vitaminas, e tomamos todas as vacinas necessárias, passamos a equipar nosso corpo com o que é necessário para nos defendermos de qualquer invasor. Não apenas pelas células estarem prontas para o combate, mas também por já terem as respostas imunológicas para determinados vírus e bactérias.

Você sabia que, pelo menos nos primeiros seis meses de vida, o sistema imunológico humano não é totalmente desenvolvido (1)? Os recém-nascidos ainda contam com as células protetoras em quantidade ou em função reduzida.

O que acontece quando a imunidade está baixa?

A principal consequência da baixa da imunidade do organismo é a dificuldade em combater doenças e infecções. Qualquer vírus ou bactéria que seria imediatamente detido, sem sequer causar sintomas, consegue se reproduzir e levar a maiores problemas.

E, claro, as doenças que gerariam sintomas, mas seriam combatidas e derrotadas com facilidade, conseguem se espalhar mais e podem até serem graves.

Mas além disso, há outras consequências. O cansaço e a fadiga no dia a dia são muito maiores, pode haver perda de peso e de apetite, as unhas e os cabelos ficam mais fracos e quebradiços e até doenças neurológicas, como a depressão, podem aparecer.

Para termos um panorama completo do que acontece quando a imunidade abaixa, precisamos fazer uma lista de sintomas desse problema.

Quais os sintomas da imunidade baixa?

  • Pequenas doenças aparecem com frequência: A repetição constante de problemas como otites e amidalites, herpes, estomatites, infecções respiratórias, aftas, roxos e demais ferimentos na pele e febres é um sintoma claro de baixa imunidade.
  • Dificuldade para se curar: As gripes e os resfriados se tornam muito mais complexos quando a imunidade está baixa, precisando até de mais de uma semana para serem curados.
  • Diminuição da disposição: Pessoas com imunidade baixa têm muito menos capacidade para fazerem coisas simples do dia a dia e se sentem facilmente cansadas.
  • Problemas com unhas e cabelos: Tem notado queda ou predisposição para quebra em partes como unhas e cabelos? Esse também pode ser um sintoma claro de imunidade baixa, ainda mais se associado com outros que mencionamos acima.

Se você apresenta um ou mais desses sintomas, procure um médico para fazer exames e avaliar como está seu sistema imunológico!

É possível ter complicações ligadas à baixa imunidade?

Sem dúvidas! A baixa imunidade é capaz de te causar enormes problemas, principalmente se contrair doenças um pouco mais sérias.

Como o nosso corpo não tem o que é necessário para combater os invasores quando a imunidade está baixa, não só ficamos doentes com muito mais frequência, como também cada vírus ou bactéria se multiplica com mais facilidade e causa problemas que poderiam ser evitados.

Se uma simples gripe ou resfriado pode ser mais pesada do que deveria e durar mais de uma semana, imagine o que pode acontecer quando contraímos doenças sérias, que poderiam deixar um adulto saudável de cama?

Quais exames detectam imunidade baixa?

Quando existe a suspeita de que a imunidade está baixa, um médico irá solicitar diversos exames que são realizados através da coleta de sangue. Entre eles, podemos destacar o hemograma, o de imunoglobinas, a pesquisa de linfócitos e a avaliação de fagócitos.

O mais importante é a avaliação sobre os linfócitos, os glóbulos brancos do sangue, que estarão em baixa quando a imunidade não está em níveis ideais, ou em alta quando há infecções ou demais problemas no corpo.

Para que você tenha uma ideia do que esperar ao fazer um hemograma, eis os valores de referência para adultos na maior parte das pesquisas relacionadas à imunidade:

CélulasValores de referência para adultos (quantidade por microlitro de sangue)
Leucócitos totais4000 a 11000
Neutrófilos bastonetes0 a 800
Neutrófilos segmentados1600 a 8000
Linfócitos900 a 4000
Monócitos100 a 1000
Eosinófilos0 a 500
Basófilos0 a 200
Plaquetas140000 a 450000

O que causa imunidade baixa?

Existem várias possíveis causas para imunidade baixa. Apenas uma avaliação médica poderá detectar qual é a que faz com que você não tenha o funcionamento necessário de seu sistema imunológico.

A mais clara, porém, é a alimentação ruim. Quando não ingerimos todas as vitaminas e minerais necessários, a produção das células de combate também cai, uma vez que muitos desses nutrientes são relacionados à imunidade.

Mas há outras possibilidades que precisam ser analisadas. Alterações hormonais, por exemplo, costumam levar a deficiências no sistema imunológico. Hábitos ruins, como frequente consumo de bebidas alcoólicas, fumo e poucas horas de sono, também estão relacionadas com o problema.

Também é fundamental analisar se a baixa imunidade não é causada por doenças graves como AIDS, câncer e diabetes.

Portanto, apesar da má alimentação ser a causa mais comum da baixa imunidade, você precisa fazer uma análise mais completa para entender se não há questões mais graves associada à baixa da defesa de seu organismo!

 Imagem mostra laranjas sobre uma mesa.
Laranjas são ótimos alimentos para a imunidade. (Fonte: pixel2013 / Pixabay.com)

O que devo fazer se estou com imunidade baixa?

O primeiro passo ao detectar a imunidade baixa é fazer uma avaliação médica para detectar qual é a sua causa e tratá-la.

Em caso de doenças, elas devem ser tratadas. Se houverem problemas hormonais, serão feitas ações para a devida regulagem. O fumo e o consumo de álcool devem ser diminuídos, os exercícios físicos aumentados.

Porém, há uma constante: É preciso melhorar a alimentação. Você deve imediatamente investir em alimentos ricos em vitaminas e minerais relacionados à melhora do sistema imunológico.

Em alguns casos, pode ser recomendada também a suplementação dessas vitaminas e minerais.

Quais as vitaminas mais importantes para recuperar a imunidade?

São várias as vitaminas relacionadas com o bom funcionamento da nossa imunidade. Para poder tê-las em abundância, a principal recomendação é manter uma dieta balanceada e que conte com todas as classes de alimentos.

Além das vitaminas, ainda ainda minerais que são importantíssimos para a imunidade. Eles também são encontrados na alimentação.

Vitamina A, vitamina B6, vitamina B7, vitamina C, vitamina D, vitamina E, ferro, ácido fólico, zinco e selênio são os nutrientes mais importantes para que a nossa imunidade esteja sempre em alta.

Preparamos uma tabela (2) com o quanto de cada um deles precisamos ingerir diariamente:

NutrienteValor a ser ingerido por dia por adultos
Vitamina A600 microgramas
Vitamina B61,3 miligramas
Vitamina B730 microgramas
Vitamina C45 miligramas
Vitamina D5 microgramas
Vitamina E10 miligramas
Ferro14 miligramas
Ácido Fólico400 microgramas
Zinco7 miligramas
Selênio34 microgramas

Quais os alimentos mais importantes para manter a imunidade em alta?

Se você deseja manter a sua imunidade sempre em alta ou se precisa recuperá-la, o melhor caminho é consumir alimentos que sejam ricos nos nutrientes que melhor ajudam a defesa do corpo humano.

Para te ajudar a montar uma dieta balanceada e de alto nível, fizemos uma pequena lista com alimentos capazes de ajudar muito a imunidade:

  • Espinafre, rúcula e agrião: Os vegetais verde-escuros costumam ser bastante ricos em ferro, mas esses citados apresentam ainda boas doses de vitamina A e vitamina C.
  • Fígado de vaca, frango ou ganso: Nós armazenamos muitos nutrientes, principalmente o ferro, no fígado. Os animais fazem o mesmo e, por isso, esses estão entre os alimentos mais importantes para o corpo humano em geral e, claro, para a imunidade.
  • Oleaginosas: Esse grupo de alimentos é composto por castanhas, nozes, amêndoas, avelãs e similares. Além de ser riquíssimo em vitamina E e selênio, também traz em quantidades menores vários outros nutrientes essenciais.
  • Frutas cítricas: A riqueza em vitamina C marca as frutas cítricas como laranja, acerola, limão e kiwi, mas elas trazem ainda muitos outros benefícios para a nossa saúde e imunidade!

É possível melhorar a imunidade rapidamente?

Há opções para quem deseja ter uma rápida melhora no sistema imunológico. É necessário não apenas investir em uma alimentação balanceada e rica em vitaminas e minerais, mas também recorrer a suplementos capazes de elevar os níveis de tudo o que está em falta.

Para isso, você deve seguir orientação médica. Após fazer variados exames, saberá de quais nutrientes mais precisa e, caso haja a recomendação, irá tomar suplementos capazes de aumentar seus níveis rapidamente.

Os resultados poderão ser velozes, mas apenas se você optar por suplementos de alto nível.

Suplementos para a imunidade: Conheça os melhores

Suplementos de vitamina A, vitamina B, vitamina C, zinco, ferro, multivitamínico… Opções relacionadas à imunidade não faltam.

Mas para ter conseguir benefícios reais, é preciso de suplementos de qualidade e, preferencialmente, lipossomais.

Imagem mostra vários comprimidos de diferentes tipos e tamanhos.
Suplementos de diversas substâncias podem ajudar a imunidade. (Fonte: stevepb/ Pixabay.com)

Quais suplementos lipossomais são os melhores para a sua imunidade?

Quando você procurar por suplementos para a sua imunidade, opte pelos lipossomais. Eles são modernos e têm uma tecnologia revolucionária que aumenta em até três vezes a absorção de cada nutriente pelo organismo, trazendo assim resultados mais rápidos.

Também é importante que a marca dos suplementos seja confiável. Nossa recomendação é a Sundt.

A Sundt tem suplementos excelentes de vitamina A, de todo o complexo B, de vitamina C, vitamina D, zinco e ferro, além de um excepcional multivitamínico.

Uma vez que um médico recomende que você suplemente qualquer um desses nutrientes para melhorar a sua imunidade, recorrer aos produtos da Sundt é a melhor opção para a sua saúde!


Conclusão

Manter a imunidade alta é importantíssimo para a qualidade de vida dos seres humanos. Caso contrário, doenças se proliferam e qualquer mínimo problema se torna grave.

A alimentação balanceada é nossa maior aliada para ter boa imunidade, mas caso algo aconteça e tenhamos problemas nesse sistema, pode ser necessário fazer suplementação de alguns nutrientes. As vitaminas e minerais lipossomais da Sundt te ajudarão muito a recuperar a defesa de seu organismo!

(Fonte da imagem destacada: jmexclusives / Pixabay.com)

Einzelnachweise(2)

  1. O sistema imune do recém-nascido: Destacando aspectos fetais e maternos. Acessado em 15 de outubro de 2020.
  2. Tabela de ingestão diária recomendada. Acessado em 15 de outubro de 2020.
Vorherige Polivitamínico para mulher: Como escolher o melhor? Weiter Excesso de ferro no sangue: como tratar?
Artigo de Revisão
O sistema imune do recém-nascido: Destacando aspectos fetais e maternos. Acessado em 15 de outubro de 2020.
Gehe zur Quelle
Tabela de IDR
Tabela de ingestão diária recomendada. Acessado em 15 de outubro de 2020.
Gehe zur Quelle